Mais um ano se passou e a passagem de ônibus aumentou em Recife. E acredite: ela vai aumentar ano que vem de novo se a gente não se mobilizar! Por isso, junte-se à comunidade de recifenses dispostos a agir por um transporte público melhor e mais eficiente! No De Olho No Busão, você acompanha semanalmente a notícias mais urgentes do transporte público recebendo alertas no seu celular. Além disso, você pode fazer parte de um grupo de ação e doar seu tempo e talento por um transporte público melhor! Faça parte!


QUEREMOS FAIXA AZUL!

Já parou pra pensar que o tempo perdido preso no engarrafamento pode ser o que a gente deixa de estar descansando com a família? A faixa azul é uma realidade ainda pouco expressiva no Recife, que apresenta bons resultados, mas precisa ser ampliada. Por mais Faixa Azul na cidade!






DE OLHO NA TARIFA!

Desde as eleições que Paulo Câmara promete tarifa única e integração temporal. Mas o que é isso? Integração temporal significa que dentro de um limite de horas, o usuário pague apenas uma passagem. Já a tarifa única é acabar com o ANEL A, ANEL B e todo mundo pagar a mesma coisa! Vamos mostrar a Paulo Câmara que ele só se elege, se implantar a Tarifa Única SEM AUMENTO!




CADÊ A TRANSPARÊNCIA?

Chega de tanto aumento com justificativas furadas. Tá na hora de abrir a caixa preta! A gente quer saber os números como despesas e receitas das empresas de ônibus. O que justifica, por exemplo, os reajustes exorbitantes? O cumprimento das legislações pertinentes também
será fiscalizado.


Fala com a gente!

(081) 9 8119.6875


Por que o Meu Recife entrou nessa?
O/A recifense cansou de todo ano levar a mesma rasteira: aumento das passagens, transporte público inseguro e sucateamento da infraestrutura. É preciso uma mobilização constante para que ao longo de 2017 a gente possa construir uma base sólida de membros dispostos a atuar com propriedade na pauta do transporte público. Somente organizados/as, com estratégia e metodologia, poderemos exigir um transporte público transparente e de qualidade na cidade. Basta de pagar caro por um serviço de baixa qualidade e, dentre outros déficits, não nos propicia conforto nem segurança.